sábado, 2 de junho de 2012

Lição de generosidade


     "Encontrei na rua um menino esfarrapado. Lembrei-me que tinha uma camisa velha em casa e poderia servir-lhe ainda. Convidei-o a chegar até minha casa.
         O garotinho foi e recebeu, todo contente, a camisa velha. Depois vi que sobrou muita comida do almoço.
         - Você quer almoçar?
         - Quero, sim senhora. Já não sei mais o que é isso.
         Fiz o prato e lhe entreguei. Ele o colocou sobre o joelho e começou a comer com muita vontade. Realmente, fazia tempo que não almoçava.
          Na metade do prato ele parou e perguntou:
         - Moça, a senhora me dá um pedaço de papel?
         Estranhei o pedido, mas fiz sua vontade. Ele colocou com cuidado o resto da comida no papel, explicando:
          É para meu amigo. Ele hoje ainda não comeu.
          E eu, pensando que estava sendo muito caridosa porque lhe dei  uma camisa velha e um resto de comida. Preciso confessar que senti vergonha de mim mesma."

Autoria desconhecida 
 História encontrada no livro: 365 dias / 365 histórias
Autor: Clóvis Bovo
Editora Santuário



5 comentários:

Célia Rangel disse...

... é nem sempre nossas ações são as únicas... há degraus inferiores!
Bj. Célia.

Graziella disse...

Lindo demais..
Uma bela mensagem...
Fique com Deus..
bjo

Will disse...

Importante e bonita reflexão, Angela.

Semana maravilhosa para você!

soninha disse...

Há uma canção religiosa que diz assim:
"Não se deve dizer
nada tenho pra dar
pois as mãos mais pobres
são as que mais se abrem
para tudo dar"....
Então?! Muitos dão do que lhes sobra e outros do que nem possuem...beijinhos de luz!

Orvalho do Céu disse...

Olá,
É para envergonhar-nos mesmo certos gestos de grande ânimo e generosidade da parte de gente tão pequena e nós??Nada, muitas vezes!!!
Bjm de paz